Skip to Content

Série Especial: "Trabalho Decente"

  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 0.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 0.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 0.

 

trabalho-decenteA série especial Trabalho Decente, da Radioagência NP, apresenta periodicamente profissões nas quais os trabalhadores ainda não tiveram os direitos respeitados nem conquistaram proteção social. Em geral, eles enfrentam situações parecidas no cotidiano: baixos salários, falta de segurança e risco de acidentes, jornadas extensas, assédio, metas abusivas e falta de plano de carreira. Completam a lista de problemas a serem enfrentados a informalidade, os elevados índices de rotatividade e as desigualdades de gênero e raça.

Desde 1998, diversos países tentam se adequar às recomendações da Organização Internacional do Trabalho (OIT), estabelecidas na Declaração Relativa aos Direitos e Princípios Fundamentais no Trabalho. Entre os objetivos estão a liberdade sindical e o direito de negociação coletiva; eliminação de todas as formas de trabalho forçado; abolição efetiva do trabalho infantil; e eliminação de todas as formas de discriminação em matéria de emprego e ocupação.

Já o Ministério do Trabalho e Emprego define o Trabalho Decente como “o trabalho produtivo adequadamente remunerado, exercido em condições de liberdade, equidade e segurança, capaz de garantir uma vida digna”.

Confira as reportagens:

Cansaço é rotina para costureira que produz 1,6 mil calçados por dia

Telemarketing: “venda” de boa imagem da empresa esconde violações trabalhistas

Jornada exaustiva põe em risco saúde de profissionais da enfermagem

Terceirização no setor elétrico: alta tensão e baixa segurança

“Serviço sujo”, trabalho honesto: o dia a dia dos profissionais da limpeza

Na luta por direitos, domésticas ainda sofrem com abusos e exclusão