Skip to Content

Comissão da Verdade precisa avançar no debate com a sociedade, defende juventude

  • user warning: Table 'ranp3.scheduler' doesn't exist query: SELECT * FROM scheduler WHERE nid = 11652 in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/scheduler/scheduler.module on line 497.
  • warning: Parameter 2 to genericplayers_swftools_flashvars() expected to be a reference, value given in /data_cpro6462/ranp/public_html/includes/module.inc on line 476.
  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

Para o Levante Popular da Juventude ainda falta à Comissão um envolvimento maior da sociedade. A revisão da Lei de Anistia é apontada por movimentos sociais e pela Comissão como importante para se fazer justiça.

Está faltando algum conteúdo do Flash que deveria aparecer aqui. Talvez seu navegador não possa exibi-lo. Instale a última versão do Flash em seu computador, ou atualize sua versão.

comissao-abr(1’47” / 421 Kb) - Para marcar um ano das atividades da Comissão Nacional da Verdade, o grupo realizou um balanço de seus trabalhos. Neste primeiro ano, completos em maio, foram coletados dados, documentos históricos e 268 depoimentos de vítimas, testemunhas e agentes repressores da ditadura civil-militar de 1964 a 1985.

Para Carla Bueno, integrante do Levante Popular da Juventude – movimento que participa de comitês de Memória, Verdade e Justiça –, ainda falta um envolvimento maior da sociedade.

“Foi um pouco tímido o trabalho da Comissão Nacional da Verdade, porque não houve muita interação com a sociedade, no sentido de trazer as informações que estavam sendo coletadas e investigadas para o povo.”

Na avaliação do Levante, a tendência do próximo ano é de avanços. Se depender da nova coordenadora da Comissão da Verdade, a advogada Rosa Cardoso, a expectativa dos jovens será cumprida.

Na terça-feira (21), durante o balanço do grupo, ela defendeu que os crimes de lesa-humanidade na ditadura são imprescritíveis e a anistia não valeria nestes casos. Rosa anunciou que a Comissão vai recomendar a judicialização desses crimes e que os repressores sejam julgados.

Para isso, é preciso revisar a Lei de Anistia, que não permite a punição de torturadores. Para Carla, do Levante da Juventude, o desafio da Comissão é promover o acesso da população ao que de fato ocorreu durante a ditadura e um entendimento de que a justiça é necessária.

“É importante a gente acumular forças para trabalhar essa revisão da Lei de Anistia, porque o que existe hoje é um grande conservadorismo dentro do Poder Judiciário. Nesse sentido, não adianta propor uma revisão da Lei de Anistia em um momento em que a sociedade não está preparada para enfrentar o tema.”

De São Paulo, da Radioagência NP, Vivian Fernandes.

22/05/13

Foto: Abr