Skip to Content

Argentina estatiza ferrovias de empresas com irregularidades

  • warning: Parameter 2 to genericplayers_swftools_flashvars() expected to be a reference, value given in /data_cpro6462/ranp/public_html/includes/module.inc on line 476.
  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

As duas empresas são a brasileira América Latina Logística (ALL) e a argentina Tren de La Costa Sociedad Anonima. As auditorias foram feitas em 2012, após um acidente com um trem urbano que matou 50 pessoas.

Está faltando algum conteúdo do Flash que deveria aparecer aqui. Talvez seu navegador não possa exibi-lo. Instale a última versão do Flash em seu computador, ou atualize sua versão.

trem(1’25” / 335 Kb) - O governo da Argentina rescindiu os contratos de concessão de ferrovias administradas por duas empresas privadas no país, a brasileira América Latina Logística (ALL) e a argentina Tren de La Costa Sociedad Anonima. O anúncio foi feito pelo ministro do Interior e do Transporte do país, Florencio Randazzo, na última terça-feira (4).

A justificativa foi o “descumprimento de contratos”. De acordo com o ministro, foram constatadas irregularidades na ALL, como “multas que superavam os 30% da garantia do contrato, descumprimento do programa de investimentos, abandono de ramais e suspensão de vias”.

Com isso, os 8 mil quilômetros de linha da empresa brasileira serão administrados pela estatal Belgrano Cargas. Além das linhas da argentina Tren de La Costa. Segundo o ministro, como houve descumprimento de contrato, em ambos os casos, o Estado argentino não terá de pagar indenização.

As auditorias nas empresas foram feitas em 2012, após um acidente com um trem urbano em Buenos Aires que matou 50 pessoas. A partir deste fato, a privatização do sistema ferroviário argentino, que ocorreu na década de 1990 na presidência de Carlos Menem, passou a ser duramente questionada.

O ministro do Transporte argentino explicou ainda que a rescisão de contratos foi “uma decisão política” da presidenta Cristina Kirchner.

De São Paulo, da Radioagência NP, Vivian Fernandes.

05/06/13

*Com informações da EBC

Foto: Divulgação