Skip to Content

Trabalhadores paraguaios protestam contra a privatização do setor elétrico

  • warning: Parameter 2 to genericplayers_swftools_flashvars() expected to be a reference, value given in /data_cpro6462/ranp/public_html/includes/module.inc on line 476.
  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

Mais de 1 mil servidores da empresa estatal realizaram uma manifestação contra o projeto de lei de privatização. Segundo eles, isso implicaria no aumento das tarifas de energia e em demissões.

Está faltando algum conteúdo do Flash que deveria aparecer aqui. Talvez seu navegador não possa exibi-lo. Instale a última versão do Flash em seu computador, ou atualize sua versão.

(1’20” / 315 Kb) - A intenção de privatizar o setor elétrico do Paraguai é questionada pelos trabalhadores da estatal Administração Nacional de Eletricidade (ANDE). Na última segunda-feira (17), mais de 1 mil servidores da empresa do Estado paraguaio realizaram uma manifestação contra o projeto de lei de privatização, aprovado pela Câmara dos Deputados.

Os trabalhadores afirmam que a intenção é abrir à iniciativa privada a produção, distribuição e comercialização da eletricidade no país. Segundo eles, isso implicaria no aumento das tarifas de energia e em demissões, além de outras questões.

O presidente da estatal, Carlos Heisele, qualificou a medida de privatização de "inconstitucional", assim como as atribuições do Congresso como instância de autorização das concessões a empresas privadas.

Além disso, técnicos da Mesa Energética Nacional também criticaram a pressa em aprovar a polêmica resolução, logo antes da renovação do Poder Legislativo, resultado das eleições do último mês de abril. O próximo período legislativo terá início em 1º de julho.paraguai-energia

A Câmara dos Deputados realizará nesta semana a discussão do projeto, que já foi aprovado de forma geral na Casa. A medida ainda irá para o Senado para o visto definitivo.

Os trabalhadores da empresa estatal anunciaram que irão seguir com as mobilizações e cogitam a realização de uma greve geral no setor.

De São Paulo, da Radioagência NP, Vivian Fernandes.

19/06/13

*Com informações da Prensa Latina.

Fotos: ANDE