Skip to Content

Maduro ordena expulsão imediata de três diplomatas norte-americanos da Venezuela

  • warning: Parameter 2 to genericplayers_swftools_flashvars() expected to be a reference, value given in /data_cpro6462/ranp/public_html/includes/module.inc on line 476.
  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

Motivos para expulsão são suposto financiamento da “extrema direita” no país e planos de “sabotagem elétrica”. Maduro anunciou a criação de um Centro Estratégico de Segurança e Proteção da Pátria.

Está faltando algum conteúdo do Flash que deveria aparecer aqui. Talvez seu navegador não possa exibi-lo. Instale a última versão do Flash em seu computador, ou atualize sua versão.

Nicolás Maduro(1’32” / 363 Kb) - O presidente Nicolás Maduro anunciou, nesta segunda-feira (30), a expulsão imediata de três diplomatas norte-americanos do território venezuelano, por suposta implicação com o financiamento da “extrema direita” no país e em planos de “sabotagem elétrica”.

“Os funcionários têm 48 horas para sair do país. Fora da Venezuela, ‘yankees go home’. Já basta de abusos contra a dignidade da pátria”, disse Maduro, durante um ato militar no estado venezuelano de Falcón.

Segundo Maduro, o governo venezuelano detectou, após um “acompanhamento de vários meses”, que um grupo de funcionários da embaixada dos EUA no país estaria se reunindo com setores da “extrema direita” para financiá-los e incentivá-los a ações para sabotar o sistema elétrico e a economia venezuelana.

Maduro também anunciou a criação de um Centro Estratégico de Segurança e Proteção da Pátria. Segundo ele, o organismo servirá para “elevar a capacidade de detectar e derrotar qualquer plano contra o país, antes que este nasça”.

Os diplomatas acusados pelo presidente venezuelano de atuar de forma “hostil, ilegal e intervencionista" são Kelly Keirderling, Elizabeth Hussmann e David Mouts. A expulsão de Keirderling, atual encarregada de negócios dos EUA em Caracas, pode ser respondida na mesma medida por Washignton, com a expulsão de Calixto Ortega, atual encarregado de negócios da Venezuela em território norte-americano.

Em março, horas antes de comunicar a morte do então presidente Hugo Chávez, Maduro anunciou a expulsão do adido militar norte-americano David Del Mónaco do país. Acusado de "atividades ilegais", o agente estaria envolvido em conspirações de caráter militar para "orquestrar um golpe", segundo o governo.

De Caracas, do Opera Mundi para a Radioagência NP.

De São Paulo, da Radioagência NP, com texto do Opera Mundi, Leonardo Ferreira.

01/10/13

Foto: Chávez Candanga/CC