Skip to Content

Tropas brasileiras permanecerão no Haiti por mais um ano

  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

Clique aqui para ouvir(1'29'' / 351 Kb) - As tropas militares brasileiras integrarão a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) por mais um ano. A prorrogação foi aprovada por unanimidade pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta segunda-feira (15).

Em nota divulgada pelo Itamaraty, o governo brasileiro manifestou disposição de permanecer no comando militar da Minustah. O Brasil ocupa o comando desde o início da missão em 2004.

De acordo com a resolução a situação ainda é frágil e a estabilidade no Haiti segue ameaçada pelo tráfico ilegal de drogas e armas. A resolução destaca ainda que é necessário respeitar os direitos humanos, a justiça dos processos judiciais e o fim da impunidade.

Segundo o conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Aderson Bussinger, a presença do Brasil no Haiti é somente militar e não humanitária. Bussinger preparou um relatório crítico à ação militar no país e defendeu que a intervenção brasileira deveria assumir outro caráter. O conselheiro integrou uma missão organizada pela Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas) que visitou o Haiti no final de junho.

A missão de paz da ONU está no Haiti desde a invasão dos Estados Unidos em 2004. A Força de Paz brasileira é composta por mil e duzentos militares e civis. De acordo com informações do Ministério da Defesa, a missão já custou ao Brasil aproximadamente R$ 370 milhões entre junho de 2004 e junho de 2007.

De São Paulo, da Radioagência NP, Ayla Zanini.

17/10/07