Skip to Content

Nova constituição queniana é aprovada e crise política está próxima do fim

  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

clique aqui para ouvir(1´15´´ / 296 Kb) - A crise política instalada no Quênia pode estar chegando ao fim. O parlamento queniano aprovou nesta terça-feira (18) a reforma constitucional do país. A crise teve início no final do último ano quando parte da população se manifestou contra a reeleição do presidente Mwai Kibaki. As manifestações entre apoiadores do presidente eleito e o candidato derrotado Raila Odinga já vitimaram milhares de pessoas.

A nova constituição permitirá um governo conjunto, formado por representantes da situação e oposição. os confrontos também têm natureza étnica. O grupo étnico Luos apóia o candidato Raila Odinga, que é formado em grande parte pela população que habita favelas como as de Nairóbi. Os Kikuyus apóiam Kibaki e vivem na região central do Quênia.

O partido Kanu, que comandou o governo queniano antes da eleição de Kibaki, foi acusado nos anos 90 de incentivar os conflitos étnicos e por esta razão teria se mantido no poder por tanto tempo. Além da reforma constitucional, os deputados quenianos aprovaram um Projeto de Lei que estabelece o Acordo Nacional de Reconciliação que irá definir as funções de cada um no parlamento.

De Brasília, da Radioagência NP, Gisele Barbieri

19/03/08