Skip to Content

Governo equatoriano ameaça Petrobras de expulsão do país

  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

clique aqui para ouvir (1´23´´ / 326 Kb) - O presidente do Equador Rafael Correa quer agilidade da estatal brasileira Petrobras para a renegociação de seu contrato de exploração de jazidas de petróleo no Equador. Rafael Correa sinalizou que pode nacionalizar um dos campos de petróleo explorado pela Petrobras e expulsar a empresa do país, caso essa renegociação não ocorra em breve. O presidente declarou que já havia se reunido com a direção da empresa e firmado esse acordo de renegociação do contrato, mas até o momento a empresa não agilizou esta renovação.

A Petrobras também corre o risco de ser multada pelo governo equatoriano. Isso se for constatado que existe irregularidade no contrato de exploração da Petrobras. A empresa tem autorização para exploração de um bloco formado por dois campos de petróleo considerados contínuos, por isso a permissão de exploração dos dois campos. Porém o governo equatoriano aponta que os dois blocos são independentes. Caso isso seja comprovado, a Petrobras terá de pagar uma indenização ao Equador pela exploração de petróleo já realizada nessa jazida que não pertence à empresa brasileira.

A Petrobras ainda não se pronunciou sobre as declarações do presidente Rafael Correa. A empresa afirma que ainda não foi informada oficialmente sobre essas decisões.

De Brasília, da Radioagência NP, Gisele Barbieri.

07/10/08