Skip to Content

Comissão rejeita projeto que permite revalidação de diplomas de Cuba

  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

clique aqui para ouvir (1´35´´ / 372 Kb) - Os parlamentares da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), rejeitaram o projeto que permite a revalidação dos diplomas de estudantes de medicina brasileiros que realizaram o curso em Cuba. O relator da comissão foi o deputado federal Lelo Coimbra (PMDB-ES) que elaborou um parecer rejeitando o projeto e teve o apoio de 17 deputados na votação. 12 parlamentares foram favoráveis à proposta que foi votada nesta quarta-feira (26).

Atualmente mais de 200 médicos já estão formados em escolas de medicina de Cuba e ainda esperam por autorização do Brasil para exercerem a profissão no país. Outros 500 alunos estão cursando medicina em instituições cubanas, como a Escola Latino-americana de Medicina (Elam). O deputado Carlos Abicalil (PT-MT) que integra a comissão lamentou a rejeição do projeto. Para ele “a comissão se pautou muito mais pelo interesse corporativo que pelo interesse social”. O parlamentar refere-se à pressão exercida por entidades como o Conselho Federal de Medicina que também é contrário à proposta. Abicalil acredita que a derrota é da população brasileira que ficará sem a assistência desses profissionais que podem atuar em “regiões de difícil acesso a serviços médicos”.

O projeto já foi votado e aprovado nas comissões de Relações Exteriores e de Constituição Justiça e Cidadania. Agora segue para votação na comissão de Seguridade Social e no plenário da Câmara dos Deputados.

De Brasília, da Radioagência NP, Gisele Barbieri.

27/11/08