Skip to Content

Rafael Correa deve ser reeleito presidente do Equador

  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

Clique aqui para ouvir(1'26'' / 337 Kb) - Os equatorianos foram às urnas neste domingo (26) para escolher seu governante. O presidente do Equador, Rafael Correa, deve conseguir a reeleição com ampla vantagem. Com mais de 70% das urnas apuradas, Correa tem 52% dos votos, mais de 20 pontos acima de seu principal rival, o ex-presidente Lucio Gutiérrez. Se confirmada a reeleição, Correa será o primeiro mandatário eleito no primeiro turno nos últimos 30 anos no país.

No novo mandato, Correa tende a manter firme a nova política de exploração petrolífera. As novas regras obrigam as transnacionais do ramo a repassarem ao governo equatoriano 99% dos lucros acima de um valor pré-determinado em contrato. A legislação anterior previa o repasse de 50% dos lucros.

Os analistas consideram que um dos principais desafios do presidente é dar estabilidade ao Equador, já que, de 1996 à 2007, foi governado por dez presidentes ou juntas de governo. Nenhum deles chegou a terminar um mandato de quatro anos.

Correa se autodefine como um "humanista cristão de esquerda". Chegou à Presidência do país andino há dois anos. Se for reeleito, poderá se candidatar ainda a uma outra reeleição, em 2013, conforme prevê a nova Constituição do país.

De São Paulo, da Radioagência NP, Desirèe Luíse.

27/04/09